Geral

Published on fevereiro 19th, 2015 | by Bruno Barros

0

Games e o plastimodelismo. Combinam?

pripyat

Quem disse que jogos não servem para tirar referências? O Centro de esportes aquáticos de Pripiyat, na Ucrânia foi muito bem reproduzido para o jogo Call of Duty Modern Warfare

Você gosta de games? Curte plastimodelismo e dioramas? Então por que não unir estes dois mundos fantásticos e extrair dos jogos, ideias de cenários para auxiliar na sua criação? A Usina dos kits traz neste post uma série de jogos, para te ajudar a desenvolver seu hobby servindo como fontes de inspiração/referência.

Com o passar dos anos, os games foram evoluindo em todos os sentidos, especialmente no realismo(caso de alguns). Com franquias como Battlefield (BF), os jogadores passaram a conhecer a temática de guerra mais extensamente, pois os mapas eram razoavelmente inspirados nos campos de batalha reais da II GM. O uso de classe de soldados também ajudou a população gamer a compreender melhor o papel de cada infante. Battlefield foi um dos pioneiros no uso das estratégias de conjunto, em detrimento das ações individuais. Outra característica importante era a capacidade de pilotar diversos veículos aéreos, terrestres e navais, que começaram a suscitar discussões sobre qual era melhor, levando invariavelmente a pesquisas históricas mais profundas.

BF3_StagingArea_GDC

Cenários estonteantes, táticas e detalhes realistas:eis a franquia Battlefield

Eterna rival da série BF, outra franquia de tiro, chamada Call of Duty resolveu seguir uma leitura diferente da vista em Battlefield: o uso de múltiplos personagens usáveis e a jogabilidade que mescla intrincados cenários com ação cinematográfica. Alguns níveis são simplesmente épicos por si só e trazem uma instigante gama de cenários e situações de combate que podem ser reproduzidas, bem como a multiplicidade dos cenários, como Kharkov, Peleliu, Toujane, Pointe-du-Hoc, Saigon, Ártico, Afeganistão e locais mais diferentes, como Pripyat, Azerbaijão, Hong Kong e até mesmo o Rio de Janeiro.

North_African_Campaign_CoD2

Crusaders do 8th Army em Call of Duty 2

Saindo dos First Person Shooter (FPS), outro gênero que é muito indicado para dar aquela iluminada na hora de criar um cenário, são jogos de estratégia. Como a perspectiva é de 3ª pessoa, o jogador tem uma visão muito mais ampla do mapa e da disposição dos elementos que compõem cada nível. São recomendados, em geral, pois os cenários foto-realísticos dão idéias de como se aplicar os intemperismos em veículos e estruturas. Por fim, são muito usados para avaliar a proporção entre os objetos de cena, o que é muito útil, quando você precisa lançar mão de scratchbuilding.

284271

Como não querer fazer um diorama dessa ilha do jogo Commandos 2?

Na lista de jogos, o clássico Commandos por si só já é mais que suficiente para inúmeros dioramas. Pudera: os cenários incluem bases aéreas, instalações de V2, casamatas, pontes, estações ferroviárias, bases militares, portos, ilhas fortificadas e afins. As localizações são bem pulverizadas também, abrangendo Normandia, Sola, Tell-el-Eisa, Ártico, Stalingrado, Paris, Burma, Indochina, Saint-Avold e Berlim, para citar algumas das localidades…

screenshot2

Commandos 2 em cena no meio do Ártico

…localidades essas que muitas vezes são retratadas por outros jogos do mesmo tipo como é o caso de Blitzkrieg, Company of Heroes, Thatre of War e Codinome Panzer.

Também não podemos deixar de falar em iniciativas como a da japonesa Hasegawa que tem lançado inúmeros aviões (ficionais ou não) da série de jogos Ace Combat como plastimodelos na escala 1/72.

iT3MJOBnAWKK9IF1sglwZQ

Quando pontes são criadas entre games e plastimodelismo: o ASF-X Shinden II da franquia Ace Combat foi trazidopara o mundo real na escala 1/72 assim como diversos outros aviões que apareceram nessa seqüência, como o Su-33 e o F-22

Como falamos do uso de games para os plastimodelistas, também é possível falar do trajeto inverso: sair do plasti para os jogos. Por mais que se leia sobre os assuntos que se monta e por mais modelos que sejam construídos, tudo fica com uma aura um tanto teórica até que se possa vivenciar isso de alguma forma (ainda que não tão acuradamente). Por isso há inúmeros jogos que usam de simulação ou mecanismos menos verossímeis, como o arcade, que fazem tanto sucesso entre modelistas em geral. Citaremos alguns.

  • Militaria: Além de jogos de estratégia, como Blitz, Codinome e Company of Heroes, a galera que gosta de blindados e tanques sempre pode apelar para Games como Battlefield e Call of Duty para uma experiência divertida. Agora, se o negócio é ir para um game um pouco mais sério, uma safra de jogos com temáticas de guerra para jogo massivo multiplayer tem saído na forma de World of Tanks e War Thunder, proporcionando conhecimento de diversos veículos de combate reais, em ambientes cooperativos. Nesse tipo de jogo é possível entender as limitações e os melhores usos para cada tipo de veículo. Noutro ramo encontram-se as simulações mais hardcore que podem não ser tão divertidas quanto os arcades, mas colocam o usuário muito mais mergulhado no contexto. T-34 vs Tiger da 1C Company/IDDK é um exemplo em que se pode pilotar blindados e lidar com inúmeras variantes como temperatura do motor, transmissão problemática, deflexão de tiro por causa de vento e gravidade e o campo de visão totalmente restrito e claustrofóbico de um blindado. Para veículos mais modernos, há o  T-72 Balkans on Fire que é ambientado na crise da antiga Iugoslávia: além de ter que lidar com tudo o que foi falado antes, adicione os perigos de um campo de combate moderno, como mísseis AT portáteis, sistemas complexos de aquisição de alvo, unidades aéreas hostis e campos minados.
95b5983b11747cbe9940364b7f408bca

Menos diversão e mais realistmo: T-34 vs Tiger representa as batalhas da Operação Bagration e há expansões para Kursk!

  • Aviação: difícil não lembrar da 1C Company de novo com o, eterno para alguns, Il-2 Shturmovik e suas inúmeras extensões (1946, Pe-2 Peshka, Shturmoviks over Manchuria, Cliffs of Dover e Stalingrad). Embora muitos simuladores existissem antes, é difícil não enxergar a divisão de águas que essa série causou no público: cockpits altamente fiéis(com mostradores funcionais), física esmerada e modelos matemáticos dos aviões aprovados pelos próprios pilotos e uma IA que poderia ser bem eficiente, sem um sistema de dificuldade crescente nas missões(já começava difícil!). Em pouco tempo, a comunidade gamer pegou-se  falando de Focke-Wulfs, Lavochkins, Mustangs e Zeros. Pouco tempo depois, a mesma 1C lançaria mais um estrondoso hit: Lock-On, ambientado na guerra aérea moderna, onde termos como EOS, AWACS, AEW, SAM, AAA prexisam ser não só sabidos, como entendidos para que as missões ocorram da melhor forma possível.
Screenshot01_zps1ce83246

Il-2 monoposto com adaptação para artilheiro traseiro vs Me-109F em Shturmovik Stalingrad

  • Automobilismo: há várias vertentes de jogos para os amantes de carros. Há jogos focados em personalização, em disputas simplificadas, na diversão, ou na simulação séria. E todos eles são uma fonte quase inesgotável de divertimento e pesquisa: Project C.A.R.S., Gran Turismo, Forza Motorsports, Wreckfest, Street Tuning Evolution, Grid, WRC Championship, Spin Tires ou Dirt podem ajudar mesmo a achar referências de alguns carros que são raramente vistos na internet além de garantirem horas de lazer enquanto você espera o verniz do modelo secar.
Project_Cars_39__18_

Sem idéias pr’aquele modelo de carro 1/24? Project C.A.R.S. pode dar uma mãozinha…

  • Naval: a série Silent Hunter manda nessa área, especialmente no que tange a simulação. Entretanto, War Thunder e World of Battleships pretendem se arriscar em breve em alto-mar, tanto acima quanto abaixo da superfície.

Viram, o quanto combinam essas duas atividades? O plastimodelista/jogador pode fazer dos games uma referência super rica em detalhes e aplicá-las em seus modelos e o modelista pode relaxar e se divertir nos games, usando aquele veículo que acabou de ir para o expositor.

Então chega de papo e vamos aos comentários. O que acham sobre os jogos falados? Os comentários são todos de vocês!

 

Agradecimentos:

Agradeço ao grande conhecedor e amigo Frecderico Ricardo Victor pelo rico detalhamento de informações deste post.

 

 


Gostou da leitura? Dê uma passada na Loja da Usina dos Kits, confira dezenas de produtos para a prática do plastimodelismo e adquira já o seu!


Tags: , , , , , , , , , ,


About the Author

Engenheiro da Computação. Especialista em Infraestrutura de Redes de Computadores em Ambientes Corporativos de TI. Um dos fundadores da Usina dos Kits ; )



Back to Top ↑